Alimentação e saúde cardiovascular

Atualizado: 24 de Nov de 2020


Não é novidade que as doenças cardiovasculares (DCV) tem uma alta prevalência, quase todo mundo conhece alguém que seja hipertenso, dislipidêmico ou que já tenha feito alguma cirurgia como a popularmente conhecida ponte de safena.

De acordo com a OPAS BRASIL as DCV são as que mais matam no mundo, em 2015 um total de 17,7 milhões de pessoas morreram decorrente de DCV.

Os números são alarmantes e poderiam ser amenizados se tivéssemos a cultura da prevenção. As DCV tem como principais fatores de risco o estilo de vida, incluindo prática de atividade física,alimentação adequada e manejo do estresse.

O grande problema é que somos mais propensos a remediar do que prevenir. Grande parte da população SABE o que é uma alimentação saudável, mas não a segue, ou seja, INFORMAÇÃO NÃO SIGNIFICA AÇÃO.

Para mudar essa realidade precisamos ser realistas, que tal após a leitura desse texto estabelecer duas metas realistas para colocar em prática para a próxima semana?!

Para se ter uma alimentação que previna eventos cardiovasculares precisamos:

1. Consumir alimentos fontes de potássio

Onde encontramos? Frutas e verduras. Que tal estabelecer 2 porções de vegetais e 3 porções de frutas ao dia?

2. Consumir alimentos fontes de cálcio

Onde encontrar? Laticínios e vegetais verdes escuros para os intolerantes ou veganos. Qual tal aumentar o consumo desses alimentos? Você consome algum deles diariamente?

3. Consumir alimentos fontes de magnésio

Onde encontrar? Castanhas, principalmente, chocolate amargo, batata, banana. No Brasil não temos o hábito de consumir castanhas diariamente, inclua um punhado nos lanches ou ceia, pois além de magnésio são fontes de gordura boa.

4. Cuidar da saúde intestinal

O intestino é um órgão importantíssimo para manutenção da nossa saúde. Observe seu hábito intestinal, consistência, frequência e cor das fezes. Sintomas como gases, flatulências e sensação de plenitude podem não ser normais.

Como fazer? inclua alimentos integrais, beba bastante água, e procure ajuda caso perceba que seu intestino não está legal.

5. Consumir gorduras de qualidade

Como fazer?

Reduzir ao máximo alimentos industrializados e gorduras de fonte de animal. Incluir castanhas, abacate e azeite extravirgem na alimentação.

6. Reduzir o consumo de sódio

Como fazer? Diminuir a frequência com que consome embutidos (mesmo o peito de peru light, ok?) e industrializados. Sabe aquele restaurante à quilo que você almoça todos os dias e acha a comida bem salgada? Ou já não acha mais porque acostumou, mas sabe que utilizam temperos prontos? Que tal reduzir a ida a esses restaurantes ou levar marmita.

7. Incluir alimentos fontes de flavonóides

O que é isso? São compostos bioativos presentes em frutas vemelhas/roxas como uva, mirtilo, morango (orgânico) e que apresentam efeito protetor ao coração.

8. Praticar atividade física

Comece com o que te dá prazer, não precisa ser musculação ou Crossfit! O que você gostava de praticar na infância?

São pequenos passos que podem mudar o seu futuro! Que tal começar hoje?

Com carinho,

Isabela

#saúde #doençascardiovasculares #doençacardiovasuclar #nutriçãoecoração #nutriçãoesaúdecardiovascular #hipertensão #alimentaçãoecoração #alimentaçãoesaúdecardiovascular #colesterolalto

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Isabela Loyola

Nutricionista

Clínica A Mais Nutri

Av. T-10, 208

Edifício New Times Square

Setor Bueno

Goiânia- Goiás - Brasil

  • Spotify ícone social
  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon