Dieta FODMAP: quais alimentos retirar?

Atualizado: Mar 5

Um dos pilares de tratamento da Síndrome do Intestino Irritável é a dieta FODMAP.

FODMAP é um acrônimo em inglês para fermentáveis, oligossacarídeos, dissacarídeos, monossacarídeos e poliois.


Como funciona essa dieta?

Os alimentos ricos em FODMAP "puxam" água para o intestino delgado devido a alta

fodmap dieta
Fodmap dieta (Monash University)

osmolaridade e geram fermentação a nível de intestino grosso ocasionando os sintomas intestinais e alteração do hábito intestinal.


Por isso, por no mínimo 2 e no máximo 6 semanas os alimentos ricos em FODMAP são excluídos da sua dieta com o intuito de melhorar os sintomas intestinais: cólica intestinal, dor abdominal, gases, flatulência, mudança na consistência e frequência das fezes.


E o que excluir?

Lactose: Laticínios com lactose, sorvete, molhos com queijos moles

Frutose (excesso): Manga, mel, maçã, pera, aspargos

Poliol: ameixa, damasco, nectarina, cogumelo, couve flor, xilitol

Oligossacarídeo: Cebola, alho, alho-poró, alcachofra, beterraba

Oligossacarídeo: Feijão, soja, lentilha, ervilha, grão de bico

Oligossacarídeos: castanha de caju, pistache




É preciso retirar todos esses alimentos com FODMAP?

Não, alguns pacientes precisam da exclusão de apenas alguns grupos, exemplo: apenas excluir oligossacarídeos e frutose.

E como saber? A consulta de nutrição é essencial para essa avaliação e para evitar exclusão desnecessária.

Na avaliação inicial observamos através de diário alimentar e uma anamese detalhada quais são os sintomas e qual a resposta intestinal a cada grupo de FODMAP.

Em alguns casos, claro, a exclusão de todos os grupos é essencial.


Os sintomas não melhoraram após 6 semanas, continuo a exclusão?

Não! Dietas restritivas a longo prazo trazem prejuízo a saúde global (deficiência de micronutrientes, baixo consumo de fibras, piora da microbiota intestinal).

O correto é voltar o consumo dos alimentos ricos em FODMAP o mais rápido possível, sem protocolo específico, e avaliar se não é o caso de outras intolerâncias alimentares, de uma ligação intestino cérebro muito forte, de um manejo ruim do estresse e da ansiedade ou de encaminhar para um médico gastroenterologista.


Quando volto a consumir os alimentos ricos em FODMAP?

A fase de reintrodução DEVE ser acompanhada por um nutricionista capacitado na área. Esse protocolo deve ser seguido apenas se a fase de exclusão tiver sido eficaz na remissão de sintomas.

Caso contrário, siga as instruções anteriores.


A reintrodução deve ser feita de forma gradual e um grupo de cada vez.

Exemplo:

Inclusão da cebola (oligossacarídeo):

1. Apenas a cebola deve ser adicionada a dieta, o restante dos alimentos consumidos no dia devem ser baixo em FODMAP.

2. A quantidade de cebola deve ser pequena. Ex.: 1 rodela de cebola cozida ou refogada.

3. O paciente deve avaliar os sintomas intestinais por 2 dias e classificá-los em leve, moderado ou grave.


Se não houver sintomas ou eles forem leves deve-se iniciar a inclusão de um outro grupos de FODMAP da sua escolha (excesso de frutose, lactose, sorbitol, malitol).

A reintrodução é de extrema importância para garantir um consumo adequado de nutrientes e expandir a dieta e qualidade de vida.

Por isso, essa fase não deve nunca ser ignorada e é essencial que seja acompanhada por um nutricionista!


A eficácia da dieta FODMAP é dependente da qualidade do acompanhamento. É extremamente importante buscar um nutricionista certificado para aplicação da dieta FODMAP (Clique aqui).

Tem dúvidas? Mande para mim!

Bjs,

Isabela Loyola

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo