Plant-based Diet é a melhor opção?

Atualizado: 24 de Nov de 2020


Nos últimos anos vem crescendo o número de pessoas que adotam uma dieta plant-based, considerando-a a melhor opção.

Mas, o que seria?

No bom português, são dietas que possuem como base os alimentos de origem vegetal, com exclusão dos alimentos de origem animal.

Segundo o site do Dr. Ornish, idealizador da plant-based, a dieta inclui ovos e laticínios magros (máximo 2 porções/dia), além de todos os alimentos de origem vegetal (cereais integrais, leguminosas, frutas, castanhas,...).

As dietas plant-based vem ganhando força no mundo por 2 razões principais:

  1. Ser um padrão alimentar protetor para algumas doenças (cardiovasculares, diabetes mellitus, câncer,...)

  2. Ser ecologicamente correta. É um padrão alimentar sustentável do ponto de vista ambiental.

Como o objetivo do blog é falar sobre saúde e nutrição, vamos focar no primeiro aspecto.

Puxando sardinha para o meu lado (rs), na cardiologia há estudos que demonstram muito bem que o padrão alimentar vegetariano é protetor a saúde cardiovascular.

Sabemos, que para a população geral, seguir uma dieta estritamente vegetariana não é fácil. Não são todas as pessoas que conseguem!

Mas, isso não significa menos saúde. Transformar a base da nossa alimentação em alimentos de origem vegetal, mesmo continuando a consumir produtos animais, já é um excelente passo no sentido de se ter mais saúde.

No estudo de Martınez-Gonzalez foi observado mortalidade e padrão alimentar de pessoas com alto risco cardiovascular. Todos os participantes consumiam produtos de origem animal, no entanto, aqueles que tinham como base da alimentação um padrão alimentar vegetariano, tiveram menor risco de mortalidade cardiovascular. Ou seja, comer muitos alimentos vegetais é um fator protetor para saúde do coração. É o básico que funciona!

Michael Pollan diz: "Eat food, not too much, mostly plants".

Acredite, isso funciona 😊

Fica a reflexão: Será que me tornar vegetariano é o suficiente?

Muitos estudos feitos não levam em conta a qualidade dos alimentos consumidos por quem segue uma alimentação plant-based. Refrigerantes e açúcares não são produtos de origem animal, por exemplo, podendo fazer parte da alimentação vegetariana. Pensando nisso, pesquisadores de Harvard decidiram estudar essa dieta dividindo o padrão alimentar em subgrupos: plant based, plant based diet saudável e plant based diet não saudável. Para ser considerado plant-based teria de haver exclusão total de alimentos de origem animal (lacticínios e ovos também).

Plant-based saudável: maior consumo de cereais integrais, vegetais, frutas e castanhas foram considerados saudáveis.

Plant-base não saudável: maior consumo de açúcares refinados, sucos concentrados, batatas fritas e refrigerantes.

De maneira geral, o padrão alimentar plant-based foi inversamente correlacionado com morte por doenças coronarianas. Porém, quando observaram o padrão plant-based saudável, essa correlação inversa foi muito mais forte. Ou seja, comer alimentos de origem vegetal saudáveis tem um papel importante na prevenção de eventos cardiovasculares. Vale ressaltar, que além de terem um padrão vegetariano, esses indivíduos eram mais ativos e não fumavam. Por outro lado, o grupo com o padrão plant-based não saudável teve correlação positiva com eventos cardiovasculares, eram menos ativos e fumavam mais.

Dessa forma, apenas tirar produtos animais como uma solução simplista para uma vida mais saudável não é o recomendado. Tornar-se vegetariano, mas consumir produtos industrializados em grande quantidade não irá melhorar sua saúde. O ideal é um padrão alimentar no qual a base da alimentação seja de verduras e legumes, podendo ser vegetariano, vegano ou onívoro. Somado a isso, estilo de vida ativo, manejo de estresse e sem fumo, por favor.

Faça sua escolha, é possível ser saudável comendo carne ou não. É você quem decide o que te faz melhor!

Tudo equilíbrio!!!

Referências:

Martınez-Gonzalez et. al. A provegetarian food pattern and reduction in total mortality in the Prevencion con Dieta Mediterranea (PREDIMED) study. Am J Clin Nutr 2014;100(suppl):320S–8S.

Satija et. Al. Healthful and Unhealthful Plant-Based Diets and the Risk of Coronary Heart Disease in U.S. Adults. Journal of the American College of Cardiology 2017; 70 (4).

#vegetais #saúde #vegetarianismo

20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo